Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Diz-me com quem andas... Parte 01

por ornitorrincoquantico, em 02.05.09

Minha nova campanha:

 


Portabilidade é tudo! Simples assim!

Participe você também dessa ideia!

 

...

 

Diz-me com quem andas... Parte 01

 

Eu gostaria de prestar uma pequena homenagem aos meus grandes amigos. Muitas pessoas passam em nossa vida e se vão, mas umas poucas ficam para sempre, mesmo que a distância geográfica tente nos separar.

 

Vou falar um pouco de pessoas que me marcaram profundamente. Nós compartilhamos alegrias, tristezas, dúvidas, DVDs, revistas e muito mais... São especiais! Não existem palavras capzes de os descrever, mas a gente tenta.

 

Beto Souza

 

 

O Roberto é meu melhor amigo desde a primeira série. Isso tem 18 anos. Nossa amizade já atingiu a maioridade, apesar de continuar tão infantil como sempre foi. Na verdade nos conhecemos na barriga de nossas mães, elas trabalhavam juntas no mesmo lugar e eram amigas quando estavam grávidas de nós. Eu nasci primeiro, no final do mês de agosto. Ele veio um pouco depois, em janeiro. Nossa amizade foi desenvolvendo como uma árvore. No começo éramos apenas bons colegas, com o tempo fomos descobrindo afinidades e passamos a trocar alegrias e tristezas. Somente no final do milênio é que nossa amizade começou a deixar de ser apenas um arbusto e tomar a forma de uma árvore. Hoje em dia ela já está frondosa e faz muitas sombras.

 

Ele não tem um gênio muito fácil, mas eu também não. Nós adoramos cinema e sonhamos em trabalhar na área algum dia. Assistimos muitos filmes. Ele me empresta muitos DVDs e eu empresto muitas revistas pra ele. Em 98 eu ganhei um CD do filme Godzila por causa de um concurso e como eu não tinha aparelho de som na época (e ainda não tenho...rzz) emprestei pra ele sem nem ao menos ouvir. Depois ele me emprestou o jogo de xadrez dele que ele nunca havia jogado. Até hoje nenhum dos 2 devolveu o empréstimo, mesmo que ele não ouve mais o CD e eu não jogo mais xadrez, mas sem problemas. Adoramos esse empréstimo consignado. Até 2005 não tinhamos outros amigos em comum (até tentávamos ter, mas as crituras que o Beto tinha amizade na época eram constrangedoras...rzz) e a partir desse ano resolvemos mudar a situação. A árvore começou a dar frutos. Nos matriculamos em um cursinho pré-vestibular e lá conseguimos conquistar diversas amizades. Algumas não foram muito longe, mas outras continuam até hoje.

 

Nossa maior alegria foi poder dizer: "Temos uma turma!" Aí foi só farra, festa e bagunça. O Beto adora uma festa. Ele é uma FESTA. E festa pra ele basta ter umas 3 pessoas, cerveja e um som que já tá valendo. Mas o que ele curte mesmo é ser promoter dessas festas, organizar, preparar e convidar os amigos. E cozinhar! Adora fazer de um tudo na cozinha, mesmo estando num eterno regime para perder peso. Sua especialidade é o Caldo de Feijão, mas rola muita pizza, torta, empada e muitas outras coisas que ele vai aprendendo a fazer. E é sempre muito bom. E é a salvação dos finais de semana sem grana, quando todos tão sem grana pra sair a gente junta os tostão que tem e compramos ingredientes pra ele fazer alguma coisa e compartilhar na casa de alguém.

 

E quando estamos todos reunidos é uma felicidade sem fim. Piadas, teatro, música, dança, bagunça, jogos de tabuleiro e no final tem sempre aquele momento de zapear a TV em conjunto atrás das bizarrices da madrugada.

 

Falando em bizarrices, nós já passamos por tantas, mas tantas, que fica difícil escolher uma. Mas uma é inesquecível, teve uma época em que trabalhávamos juntos em uma empresa e pra não ficarmos conversando o tempo todo e o chefe dar bronca, a gente ficava falando pelo ICQ. Detalhe: nossos computadores ficavam um do lado do outro. Pelo ICQ a gente destilava tanto veneno comentando dos micos dos nossos chefes e das pessoas que frequentavam a agência, que não sei se iremos mais para o céu. Tinha um cara que trabalhava com a gente e tudo o que você falava para ele, ele concordava. Era um saco. Um dia, pelo ICQ, eu e o Beto colocamos em prática um plano maldoso. Aproveitamos que esse rapaz estava perto de nós e começamos a falar de diversos assuntos, só que se eu dissesse que gostava de um filme o Beto dizia que não gostava, enquanto a gente perguntava para o pobre rapaz o que ele achava. Foi mais ou menos assim:

 

ICQ Rubens: beto, diz pro fulano q vc gosta do senhor dos anéis

Beto: sabe fulano eu adoro o senhor dos aneis, e vc?

Fulano: aahh eu adoro também, filme muito bom, muito bom

ICQ Beto: rubens, agora diz pra ele que você não gosta

Rubens: fulano, eu não gosto do senhor dos aneis, você não acha muito fantasioso

Fulano: eh verdade, ele não é muito bom, tem isso mesmo

Beto: mas ele é a melhor adaptação da literatura, vc não acha q isso faz dele um bom filme?

Fulano: é verdade, é verdade, ele é mesmo um bom filme

Rubens: mas ele força muito nas cenas, vc não acha?

Fulano: é verdade, ele força, não é mto bom

ICQ Rubens: rzz... a gente não presta!!!!hauahuha

ICQ Beto: kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

 

E fomos longe nessa brincadeira, o coitado do rapaz quase fundiu a cuca. Mas não foi maldade nossa, é um porre a pessoa não ter opinião própria, nosso objetivo era ver se o cara se tocava. Mas não conseguimos...rzz

 

Enfim, minha amizade com o Beto eu tenho certeza que será eterna. Mesmo quando a gente brigou (e foram poucas vezes) rapidamente voltamos a nos falar pq um depende do outro pra compartilhar nossas loucuras.

 

Falando em loucura, sempre que saímos para algum lugar sempre aparece um louco ou bêbado pra falar com a gente. É incrível isso! E nós sempre damos corda...rzz Acho que existe uma identificação entre os loucos e a gente.

 

Marcelo Garcia

 

 

A minha amizade com o Garcia começou naquele cursinho que falei acima. Foi um dos primeiros da nossa turma. Ele entrou para o cursinho no meio do ano, lembro até hoje do seu primeiro dia. Ele chegou de cabeça baixa e sentou no fundo da sala. Eu e o Beto ficamos com pena da pequena criatura e procuramos uma aproximação que foi bem sucedida. Adoramos o Garcia logo de cara. Ele é muito engraçado e muito brincalhão. Mas também muito preguiçoso e leeeeeentoooooo... É um amigo que topa qualquer parada. Não é bom em dar conselhos mas se vc precisar de alguém pra fazer qualquer maluquice ele topa na hora. Adora dar tchau para pessoas estranhas quando está dentro do carro (e manda recados também, deixando as pessoas com cara de "será que é comigo?), quando bebe baixa um santo nele que ninguém segura, é capaz de correr gritando numa rua deserta de madrugada e adora cantar músicas dos power rangers e da Xuxa em locais públicos. É preciso ver esse pequeno pônei pra tentar entendê-lo. Se vc estiver deprimido chame-o para sair com você, vc ficará com dor na barriga de tanto que vai rir.

 

Ah, ele também adora quedas. Principalmente se for dos outros. E as pessoas sempre caem perto dele. Mas é incapaz de socorrer o indivíduo porque ele inicia uma crise de risos infinita. Mas ele é uma boa pessoa, no dia-a-dia é bem calmo, sossegado, como dizem. Mas sossegado até demais. Pra marcar um compromisso com ele vc precisa mandar ele vir umas 2 horas adiantado, sem ele saber. Pq ele atrasa demais. Nem mulher demora mais do que ele para se arrumar. É uma hora só de banho. Adora banho mas odeia chuva. Se vc pretende sair com ele e começar a chover, esquece. Ele não vai nem amarrado. Nessas horas ele é igual ao Cascão (e mesmo na aparência física ele lembra o Cascão...rzz). Mas também adora limpeza, é difícil convidar ele pra fazer qualquer coisa aos sábados ou feriados à tarde. Ele sempre está limpando a casa. E sempre está arrumando o guarda-roupa. Sempre! E leva horas nessas atividades. Também não conte com ele no horário da fórmula 1. É incapaz de perder uma corrida e sabe tudo sobre a temporada e sobre Fórmula 1.

 

Uma loucura que a gente fez? Tem essa gravada em celular de pobre:

 

Você no Foco - Entrevista Marcelo Garcia Detalhe: a apresentadora é o Beto...rzz

 

Falando em loucura, sempre que saímos para algum lugar sempre aparece um louco ou bêbado pra falar com a gente. É incrível isso! E nós sempre damos corda...rzz Acho que existe uma identificação entre os loucos e a gente.

 

Sílvia Lopes


 

Eu conheço essa moça de escorpião a mais tempo que conheço o Beto, porque a gente também fez o pré-primário juntos. Mas passamos muuuuitos anos apenas como bons colegas. Nunca na época da escola nós compartilhamos uma amizade de verdade. Fora do colégio fizemos curso de informática na mesma escola e aprendemos a usar CorelDraw e PageMaker juntos. Aí começamos a ficar mais amigos, mas ainda assim sem muita dedicação.

 

Eu lembro que a gente fazia algumas idiotices, tipo perder uma sexta feira inteira escaneando uma revista com um scanner de mão pra só depois de muita insistência assumir que aquilo tava virando uma bosta. Isso aconteceu entre 1996 e 1997. Nos achávamos demais por ter acesso livre à internet no curso as sextas feiras. Mas a nossa amizade só veio brotar de verdade uns 6 anos depois, quando a gente já havia terminado o ensino médio.

 

Eu estava desempregado, tinha acabado de desistir da faculdade de história por não ter dinheiro e desanimado. Aí encontrei com ela por acaso na rua (lembro até do local). Ela estava fazendo serviço social e trabalhando numa empresa de marketing. Falei que estava procurando emprego e que me tinham informado que havia um lugar que contratava pessoas para fazer pesquisa. Era o mesmo lugar onde ela trabalhava! Ela então me indicou ao dono e logo comecei a trabalhar de pesquisador. Era temporário, apenas em fins de semana, mas ajudou bastante naquela época. A Sílvia então começou a me indicar ao patrão dela, elogiou meu trabalho e tentava convencer ele de que estava atolada de trabalho e precisava de ajuda. Tanto insistiu que conseguiu. Ele me contratou e, eu e a Sílvia, comungamos finalmente nossa amizade (esse é o mesmo emprego que trabalhei com o Beto e que citei acima, o Beto entrou no lugar da Silvia quando ela processou o patrão...e ele ficou até processar o patrão tbém... só eu não processei esse patrão... ainda...rzz). Eu fiquei muito feliz porque seria a primeira vez que trabalharia com algo que eu gostava e sentia prazer, que era o trabalho de designer gráfico e webdesign. Aprendi muito nessa época e a Sílvia sempre esteve do meu lado me ajudando. Divertíamos o dia inteiro juntos e compartilhávamos nossas alegrias e dores (principalmente a dor da falta de pagamento, pq nosso chefe querido só nos pagava atrasado, muito atrasado... enfim, nada é perfeito...).

 

Nasceu uma confiança muito grande entre a gente, ela dividia tudo comigo, me pedia conselhos, chorava no meu ombro, ríamos juntos... era uma festa. Se não fosse nossa amizade e com o estresse em que era o ambiente de trabalho, nós não teríamos continuado por ali. Mas um passou a modificar o outro. Eu comecei a mudar e ela também. Foi mágico acompanhar todas as mudanças da vida dela. Resumindo como foi: quando iniciamos nossa amizade ela namorava um rapaz havia anos, em um ano ela largou dele, descobrindo o quanto ele era canalha, curtiu a vida de solteira, achou o amor da vida dela, namorou, engravidou e caso, tudo isso sempre sob minha orientação tarológica...rzz

 

A gravidez dela não foi minha culpa, tá certo que só aconteceu depois que eu li pra ela que isso PODERIA acontecer, através do tarô. Se ela levou ao pé da letra foi decisão dela e só...hauahuha. Enfim, tudo isso foi um grande presente p/ ela, a filha dela é linda e tá enorme. Ela já é uma assistente social, trabalha na área, tem um lar maravilhoso e continua estudando e com muitos sonhos. Infelizmente, não estamos tão próximos como antes, mas sempre que dá vou na casa dela. Aí ficamos horas nos divertindo com nossas histórias.

 

Relembrando tipo a vez em que ela enfezou que os nossos computadores estavam muito sujos de poeira e resolveu limpá-los. Sabe como ela limpou o teclado? Enfiou ele num tanque de roupa e esfregou com escova de lavar roupa e sabão em pó, depois pôs no sol pra secar. E não é que o danado ficou limpo e voltou a funcionar?...rzz Ou tipo a vez em que planejamos o assalto a um forno e roubamos pedaços de um delicioso bolo de chocolate que uma bruxa malvada escondia da gente...hauahuha... Ou a festa do chefe que nós fomos e no final ela me pediu pra pegar uma bandeija de salgados e levar embora, bem na frente dos convidados. E eu levei...hauahuha... Enfim, muitas loucuras vivemos juntos.

 

Falando em loucura, sempre que saímos para algum lugar sempre aparece um louco ou bêbado pra falar com a gente. É incrível isso! E nós sempre damos corda...rzz Acho que existe uma identificação entre os loucos e a gente.

 

Isso é só uma pequena amostra dessas pessoas especiais que convivem comigo. E ainda tem muito mais gente, pretendo falar deles futuramente.

 

Não sei porque eles gostam de mim. Mas eu sei muito bem porque eu gosto deles.

Totalmente diferentes de mim mas ao mesmo tempo somos iguais!

São únicos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.