Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amigo Oculto

por ornitorrincoquantico, em 16.05.15

Quero falar com você que me lê no anonimato. 

Que me vê passando pela timeline e só observa.
Nenhum like, nenhum share, nenhum comment...
Mas sempre olha

Observa
Sente
Poderia ocultar, mas não oculta
Poderia bloquear, mas não bloqueia
Poderia nem ler, mas lê

Ri
Chora
Pensa
Xinga
Questiona
Queria ser assim também, mas não consigo
Sou o seu oposto
Vários likes, vários shares, vários comments...
Se sou provocado, atiro-me
Se sou instigado, mergulho
Se sou desconstruído, rendo-me
É por você e com você que estou aqui agora
Você não é oculto
Revela-se em seu silêncio
Revela-se na trama de algoritmos frios
Revela-se em minh'alma

Quero falar com você, e apenas você
Os outros são importantes, sim
Mas hoje o palco é seu
A tela é sua
O papel é todo seu...
Você também faz parte de minha vida
Mesmo que nunca tenha lhe dito nada
Nem ao menos tenha lhe visto
E se vi, nem esperei, nem falei, nem existi

Saiba que tu também és especial
Tu com tuas limitações, eu com as minhas

Quero falar com você
Talvez seja o único momento nosso
E por isso dedico essas poucas palavras a você
E a nossa amizade que nem sei se pode ser categorizada como tal
Vira e mexe me pego chamando-te de meu amigo
Mas somos amigos?
Tão pouco colegas...
O que somos?
Somos poeira

Nada...

Trema, sei que estás atrás das cortinas
Tal como alma penada que vaga
Sei de sua existência
E tu da minha
Vamos rir juntos
Somos bobos
Somos tolos

Amo-te também
Não desse amor passageiro que tanto sucesso faz na boca dos asnos
Amo-te de uma forma especial
Tu és único
É ausência que se faz presença
Teu rosto está ali ao lado
Em meio aos outros que são presença
E nesse sublime instante
Em que dedico meu tempo a tentar tocar teu coração
E você dedica teu tempo a ler essas linhas pobres e desniveladas
Sabe-se lá Deus porque
Digo-te

Amo-te

O amor dos anônimos
Que não são anônimos
Que não são amigos
Que não são coisa alguma
Só são
É um amor sublime
Que não pede troca
Embora sempre haja alguma troca
Que não pede devoção
Embora somos de certa forma devotos um do outro
Que não exige
Agora sem embora, porque não se exige mesmo
É feito essencialmente de carinho, respeito e admiração

Não peço-te revelação
Não sou ninguém
Sou lento e pobre
Sinto-me ainda tão imperfeito
Incompleto
Em construção
Ao contrário de você
Que mesmo estando no mesmo barco
Já avançou mais do que eu

Não peço-te nada
Não sou nada
Sou vazio e oco
Sou uma anta e um asno
Jumento
Um burro
Ao contrário de você
Que mesmo estando na mesma reserva ecológica
Já avançou mais do que eu

Escrevo-te, pois só você chega até aqui
Só você me compreende
Só você é razão
E se não há like, não há share, não há comment
Há algo mais profundo
Inimaginável
Inominável
Há o que nos une
Há o que nos dá forma
Há o que nos liga
Há o que permitiu ao destino que de um lado houvesse adição
E do outro aceitação
E hoje somos
Amigos

Amigos?

Somos, apenas

E é para você, por você e com você
Que estas singelas palavras são dirigidas
Porque era chegada a hora de me dirigir a você
E desnudar o anonimato
Para que você saiba
Que estou sempre aqui também
E que sua vida me é cara
Você não estará nos likes abaixo
nem nos comments
muito menos em shares
E quem estiver já é macaco velho do meu terreiro
Já são meus putos
Meus irmãos
Minhas joias

Mas você está ao lado
No meio das bolinhas verdes
Olhando-me vez ou outra ao longo do dia
Julgando-me
Analisando-me
Ou não fazendo nada
Só vê passar
Mas é tão especial quanto

Quando quiseres, estou aqui
Abra uma janela
Envie um cachimbo
E diga
Isto não é um cachimbo
Porque se for para sair das sombras
Das cortinas
Do anonimato
Para dizer
Obviedades
Nem saia
Tu és muito mais
E talvez nem saiba

Pois eu lhe digo
Tu és grande
Tu és um belo cão de guarda
Uma bela garça
Um gato sábio
Um sabiá talentoso
Uma capivara culta
Um universo esplendoroso e mágico

E se chegar o dia do nosso encontro
O dia da dissipação das sombras
Da mudança de estado
Seja por qual janela for
Por qual porta, calçada
Real ou virtual
Se esse dia chegar
E tu não vier só
Vier com Francisco, Luzia
Rosa, Lispector
Pessoa, Drummond
Shakespeare, Pirandello
Kandinski, Warhol
Mozart, Herrmann
Hitchcock, Godard
Garbo, Davis
Christie, Rey
Clara, Maysa
Abelha, Chico
Madalena, Tomé
E qualquer outro da ladainha
Aliás
Se vier conhecendo a ladainha
Convocando-me à devoção
Saiba que nessa hora
Cairei aos teus pés
E terei a certeza que meu tempo não foi em vão
Minhas palavras não foram ao vento
Você mereceu tudo e ainda merece mais

Ao meu anônimo querido
Obrigado por tudo!

Lino Ribeiro
O Ornitorrinco Quântico
Sábado
16 de Maio
2015
Anno Domini Nostri Iesu Christi

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:09

Momentos Mágicos

por ornitorrincoquantico, em 16.05.15

permita-se-910x510.jpg

 

Tenho coleção de momentos mágicos, momentos que vivi onde o mais importante foram as sensações e o subjetivo. Do contexto e da conversa, muita coisa se perdeu, ficou o cheiro, a temperatura, a textura, as sensações e os sentimentos. Uma garagem, um show, um metrô, outra garagem, um carro na tempestade e um palco.

 

Há um filme oriental que diz que quando morremos devemos escolher um único momento para vivermos nele pela eternidade. Se porventura isso fosse real, eu, com meus 31 anos, já teria uma decisão dificílima para resolver. Fora esses momentos há outros também, sem contar os vários outros que ainda viverei.

 

Por ora, eles ficam guardados em meu coração, os revisito em noites frias e solitárias como a de hoje.

 

Em algum livro que li dizia que quando lembramos de algo nosso cérebro se comporta como se estivesse acontecendo novamente e por isso seria importante guardar coisas boas e deixar as ruins no limbo e esquecimento.

 

Creio nisso.

 

Guardo o que há amor em sua constituição, o resto jogo ao vento para que leve para bem longe. E vou vivendo, sempre atento. A qualquer momento um novo momento mágico pode surgir inesperadamente e preciso ser rápido para arquivá-lo em minha valiosa coleção.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:24

Gênese da miséria humana

por ornitorrincoquantico, em 16.04.15

mar_primitivo.jpg

 

 

A verdade mais verdadeira que há é que somos todos marionetes da célula mestra, da célula mãe, da célula Eva, aquela que foi o primeiro suspiro de Deus na Terra e surgiu no meio de um oceano vazio de vida. Ela veio sem cérebro, sem ego, sem nada complexo, mas veio com algo mais forte que a força que a fez surgir naquele mar de matéria e substância. Ela veio com uma consciência, uma conscienciazinha bem primitiva e que em nada lembra o que entendemos por consciência hoje. Ela veio com um negócio intraduzível pelas palavras tradicionais do arcabouço científico, ela veio com a capacidade de perceber que era feita de matéria e que de alguma forma ela tinha um algo a mais que toda a matéria em sua volta.

E ela viu, que essa matéria em sua volta, estava em constante mutação. Não havia indivíduo, havia uma massa vibrante de energia, sem antes, nem durante e nem depois.

A pobre célula primordial se assustou. Ela se reconheceu diferente de todo o resto e queria "ser" para sempre, não se diluir naquela loucura toda da matéria. Ela era o supra sumo do universo, como poderia retornar à condição de substância??

Não, algo precisava ser feito! Sua inquietação foi tão grande, mas tão grande, que fez criar um choque de criatividade, que ricocheteou em sua membrana plasmática e fez nascer uma ideia: iria ser imortal. Era seu plano, pra nunca mais retornar ao pó de onde havia estado antes e para ser a rainha da matéria, a líder dos átomos, a governanta do universo.

Mas ela percebeu também que sua carcacinha estava em deterioração, logo logo era o retorno à matéria. Muito em breve ela iria conhecer o processo que hoje conhecemos como morte. Ela ficou aflita, inquieta, um verdadeiro caldeirão de sensações passou a colidir em seu interior, de um modo extremamente insano, até que ela não conseguiu aguentar e explodiu!!

Explodiu, mas não era o seu fim! Ela observou que continuava igual, mas aí viu algo que a assombrou: ela se viu, bem ali na sua frente. Havia outro eu dela. Não estava só. E viu que todo o processo que ela passou, esse seu novo eu também passava. O outro eu também explodiu e, da explosão, outros "eus" foram surgindo. Logo, o mar estava cheio de cópias dela, algumas novas, algumas mais velhas, todas passando por tudo o que ela passou.

Ela então sentiu que seu fim se aproximava, porém entendeu que ela fez uma coisa estupenda. Ela se recriou. Aqueles outros seres à sua frente eram ela também. Conseguiu sua meta, se eternizou. Pelo menos, enquanto o mar de matéria permitisse e não se voltasse contra eles. Ela viu que que não tinha domínio algum de suas cópias, eram todas independentes, mas todas elas estavam fadadas a passar pelo mesmo processo.

Ela sorriu. Estava pronta para retornar ao pó. Sabia que continuaria existindo mesmo não estando ali, e tinha extrema confiança que suas cópias iam ter inteligência suficiente para refinar o processo e o melhorar. E ela disse adeus à sua carcacinha, que retornou à vibração primordial. E suas cópias deram sequencia ao seu legado, até chegar na gente, humanos, que achamos que somos os mestres do universo mas na verdade somos apenas um grande caminhão que transporta o legado e a imortalidade da nossa célula mãe. Ela, sim, a única sábia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:56

Não desista!

por ornitorrincoquantico, em 26.03.15

tatiana_familia.jpg

 

“‘Não desista! Não recuse! Tente! Tente sempre! Nunca fez? Alguém tem que fazer, então que seja você, ou dá certo ou não dá, o que você tem a perder?’"

 

Frase dita pelo pai de Tatiana Belinky e que a motivou a se tornar escritora

 

Foto: Tatiana menina com os pais

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:14

Eu e eu

por ornitorrincoquantico, em 25.03.15

ornitorrincodecartola.jpg

É demasiadamente estranho olhar para nosso passado, por mais que a gente sempre esteve conosco desde nossa origem. Há um estranhamento entorpecente, uma sequencia de questionamentos nos surge e nos deixa mais tontos que uma barata banhada em detefon.

Pensávamos diferente, agíamos diferente, falávamos diferente, tudo nos parece tão estranho, tal qual sentimos ao olhar um outro alguém. Acho que o mais assustador é saber que esse processo terá continuidade. Um dia olharei para o meu eu de hoje e também acharei estranho. Amanhã serei outro, depois de amanhã outro, mês que vem outro... E não tem fim!!

Aprendemos, apanhamos, choramos, corremos, vivemos... conjugamos todos os verbos possíveis e até mesmo alguns impossíveis e isso vai remodelando nossa matéria. Não só isso, são tantas coisas que nem consigo enumerar a natureza de todas por palavras.

É cada vez mais difícil me encarar frente a frente, encarar minha face e minha alma.Esse encontro de quem eu sou com quem me tornei e com quem eu fui é o encontro mais duro que temos nessa vida. Duro porque é difícil encarar nossa essência, o âmago do nosso espírito.

Hoje acho esse texto lindo, bonito, bem escrito... Amanhã acharei uma droga, mal escrito e raso. Falta tudo, falta estrutura, falta humanidade. O jeito é aproveitar a humanidade que sinto hoje, antes que as palavras envelheçam e meus olhos também.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:39

Casa Nova

por ornitorrincoquantico, em 19.03.15

charlieamerica.jpg

 

 

Tanto tempo sem escrever por aqui, blog totalmente abandonado, resolvi dar uma renovada nele. Mudei tudo!! 

 

Desde que transferi esse blog do Uol pra cá nunca mais mudei seu estilo. Revisitando-o, vi que já tava todo desconfigurado, sem algumas imagens, feio... Joguei fora sem dó nem piedade e nem guardei nada de lembrança porque já não era mais o que era.

 

Também desde que criei o outro blog praticamente abandonei esse daqui (por consequencia não escrevi mais conto ou ficção alguma). Já não prometo mais nada porque é complicado, meu ritmo é maluco. Mas tô com vontade de escrever, tem várias vozes gritando na minha cabeça, querendo vida em algum plano de expressão.

 

Vamos ver o que sai agora...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:47

 

Até dia 28 de fevereiro estarão abertas as inscrições no curso de Especialização em "Discurso e Leitura de Imagem" oferecido pela UFSCar. A atividade é destinada a pessoas que atuam ou buscam aprofundar conhecimentos com a análise de imagens, em instituições e locais presenciais ou virtuais: escolas, agências de comunicação, universidades, institutos de pesquisas, arquivos, bibliotecas, centros culturais, instituições de patrimônio histórico, dentre outros.

O objetivo do curso é oferecer estudos advindos do campo das linguagens aplicados em análises dos discursos imagéticos, considerando-se, para tanto, três grandes modalidades de produção: as imagens fixas, as imagens em movimento e as imagens no virtual. Para a realização deste curso foram convidados docentes dos departamentos de Ciência da Informação, Imagem e Som, Letras e Sociologia da UFSCar, além de professores dos cursos na modalidade da Educação a Distância. Se, por um lado, as perspectivas teóricas e conceituais dos docentes dessas áreas são diferenciadas, por outro, o que os une é que há anos eles pesquisam sobre leitura e análise dos discursos imagéticos, aplicando seus conhecimentos em diversos textos: quadros, fotos, história em quadrinhos, filmes, imagens na internet, transmídia, na educação a distância, nas imagens em 3D.

Os interessados podem fazer inscrição agendando entrevista na secretaria do Laboratório de Análise do Discurso da Imagem (LANADISI), situado no Departamento de Ciência da Informação da UFSCar, pelo telefone (16) 3351-9469. O funcionamento da secretaria será de segunda a sexta-feira das 13 às 18 horas, exceto nos feriados. Na entrevista será necessário apresentar currículo impresso. São oferecidas 40 vagas e, deste total, 5% são destinadas a funcionários da UFSCar.

Mais informações podem ser obtidas no site do curso, pelo telefone (16) 3351-9469 ou pelo e-mail discursoeimagem.ufscar@gmail.com.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:03

Andy Warhol na Estação Pinacoteca

por ornitorrincoquantico, em 27.03.10

 

 

Se você gostou de conhecer um pouco sobre Andy Warhol ano passado com os posts em que analisei alguns de seus quadros, não pode perder a oportunidade de ver de perto as obras desse importante pintor do Pop Art.

 

 

Andy Warhol, Mr. America
A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta, na Estação Pinacoteca, exposição de Andy Warhol, um dos mais importantes e influentes nomes da Pop Art. Andy Warhol, Mr. America
De 20 de março a 23 de maio de 2010

 

De terça a domingo, das 10 às 18h Ingresso combinado (Pinacoteca + Estação Pinacoteca): R$ 6 ou 3,00. Grátis aos sábados.


Largo General Osório, 66 – fone 11 3337.0185

 

Aproveitem!!! =)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:10

Clara sonha ao lado do alecrim

por ornitorrincoquantico, em 17.02.10

Clara, encostada na parede de sua casa, ao lado de um pé de alecrim, olha o céu e pensa. Seus pensamentos são um emaranhado de ideias, sonhos, projetos, medos e insegurança. Ela ama, ama muita coisa e esse excesso de sentimento a faz perder um pouco o rumo de sua vida.

 

Ela tem uma paixão mas não consegue contato. Tenta falar com as estrelas para ver se elas ajudam a enviar uma mensagem. Para a Lua ela não pede hoje porque a Lua não a veio visitar. E se veio, preferiu se esconder entre as núvens, já cansada de tanto leva e traz. Para o Sol Clara não pede nada, apesar da Lua reclamar que ele é seu padrinho. "Mas você é minha amiga, não é?" - chora Clara. "Sim, sou, mas para ele é muito mais fácil". "Não gosto de parecer que só falo com ele quando preciso de ajuda...".

 

Enfim, sem Lua e sem Sol, Clara tenta com as estrelas. Mas desiste. Suspira e lembra das cartinhas que escreveu e as que recebeu. Uma delas ela guarda escondida ao lado de sua cama, só para cheirar antes de dormir e fazer seu amado presente ali ao seu lado.

 

Mas Clara também quer trabalhar e já está cansada de não conseguir nada melhor do que vender. Ela vende porque precisa, mas ela prefere muito mais assar bolos e tortas. Também gosta de pintar e artesanato. Mas todos dizem para ela que isso não é futuro.

 

Mas Clara nem se preocupa muito com o futuro, ela acha que tentando fazer o melhor de seu presente, o futuro está garantido. Ela quer que a felicidade nasça naturalmente em sua vida. Ela acha que está conseguindo, mesmo não sabendo se seus bolos são bons, se seus quadros agradam e se seu amado entende suas loucuras.

 

O que Clara quer agora é incomodar as formiguinhas que tentam entrar em seu formigueiro. Ela pressiona a entrada com o dedo levemente para tapar a entrada e espera para ver as formigas o reabrir. E repete isso várias vezes.

 

Ela ama e a única saída para essa noite é abraçar o alecrim e o beijar ternamente. Ela o acaricia e acredita que os galhos que passam em sua face e cutucam seu olho é a planta que retribui o carinho. Ela acredita que tudo que é feito com carinho e amor recebe carinho e amor por retribuição. Talvez não na hora, mas um dia desses qualquer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:10

Feliz Natal!!!

por ornitorrincoquantico, em 24.12.09

Faça desse Natal uma data especial.

 

Faça alguém feliz também.

 

O melhor presente hoje? Um abraço!

O presente mais caro? Um beijo!

O que não pode faltar na ceia? Carinho!

A bebida mais preciosa? O amor!

 

Se tiver tudo isso, seu Natal será inesquecível. E o resto será um gostoso complemento.

Perdoe quem te feriu, as pessoas fazem besteira mesmo e só um gesto de carinho de verdade previne novas besteiras.

Lembre quem há muito sumiu, ele certamente ainda espera por você e acha que foi você quem sumiu…

Não brigue, não hoje.

Se estiver triste sorria, ao menos tente. Só a alegria consegue trazer mais alegria ao coração.

 

Faça, dance, brinque e pule. Você merece.

 

Espere apenas pelo Papai Noel, não espere mais nada de mais ninguém. E o Papai Noel só vem na moita, sutilmente. Lembre-se disso.

 

Se for Cristão, lembre-se de Cristo. Se não for, lembre-se do amor.

 

E acredite em coisas boas. Acredite na paz. E, acima de tudo, acredite em você!

Eu acredito!!!

 

Beijos e abraços verdadeiros e sinceros a todos vocês, meus leitores e queridos amigos! Amo vocês de coração!

:)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:15


Mais sobre mim

foto do autor